terça-feira, 30 de março de 2010

Torno de corda

Às vezes desperta algo em nós, em mim, no animal que rasga a pele e nos transforma em monstros escamosos sentados no torno de corda. Tornando-mos tão fortes que a guita cede aos poucos, mas não deixa de ser o torno e preferimos cair em força do que sermos humanos.
Um olho no abismo e outro no relógio e o monstro dilui-se em pedaços de papel rasgados, brancos com uma história que nunca saberemos. A vida em suspenso vale mais do que a vida garantida, a escolha é nossa. Somos tão livres que optamos sempre pela prisão, cortam-nos o cordão e passamos a ser propriedade do medo, a menos que tenhamos a audácia de assumir os erros e começar de novo. Transformar o medo em adrenalina e os olhos em desejos.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Polvo

Boas noites meus caros, boa madrugada e bons olhos secos na escuridão! O corpo pode estar paralisado de impotência, mas os olhos piscam implorando por humidade – freneticamente, as pálpebras para cima e para baixo, tentam pintá-los de um branco saudável!
Bons pensamentos, memórias, projectos que corres no sangue ao passar pelas artérias cerebrais, boas dúvidas, bons esforços para puxar os cobertores para o sitio, boa dor ocular que te faz virar de barriga para cima e olhar para os círculos brancos que vão diminuindo de tamanho só para deixar logo outra aparecer no seu lugar e – ah, magia – fecharem os olhos e verem EXACTAMENTE O MESMO !!

A Insónia é uma rapariga que se deita por cima de nós e nos envolve, como um polvo, com o seu olho OoOoOoOoOoOoOo… e assim por diante, até que adormece connosco no prato e com a faca nos acaricia com sonhos estranhos que não nos é revelado aquando conscientes.
Fechem os olhos com a ajuda da almofada e pensem e sintam bastante, até o sono se vir obrigado a chegar e entrar na boca do polvo.