terça-feira, 27 de novembro de 2012

Enjoing the Militar School of Hospitality

Esgotada.
Feliz.

Icaro

uma nova vida dispara conhecimento, afectos, caras, saudades, medos e eu sinto-me um automatismo que cumpre para poder sonhar. Ainda não sei o que nem em quem me tornei, mas uma coisa sei. Tenho ombros para todos e os braços abertos. Não é algo de caracter altruísta, mas assim acabo por passar um penso no coração para ele se aguentar mais uns dias sem sangrar. Crises, na 4ª à noite tive uma para dar ares de sua graça, já que há dois meses que não me visitava. Excesso de trabalho, poucas horas de descanso (como estou a fazer agora) mas pelo mesmo sinto-me vida, de uma ou de outra maneira. Mesmo com as coisas más, que não são más de todo... Quando olho para trás e me lembro de tudo o que vivi, sinto-me velha, uma velha solitária, porque por muito que queria nunca estou acompanhada. Agora, uma nova vida corre tão violentamente como as correntes dos rios frios e sinto-me como um salmão arrastado com o cardume não sei para onde, para onde deus-nos-salve. começo a pôr em questão se vou mesmo ser capaz de concretizar o meu sonho. Ícaro. tenho sono e a escuridão escuridão escuridão-me-a. Um dia... Um dia estarei mais perto de ti.