segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Beauty

Na impossibilidade de dançar como outrora, o meu corpo apenas comete uns movimentos descoordenados e alguns involuntários. Um cão sem uma pata faria melhor, penso. Porque um cão não pensa se o que faz é correcto ou não.

Today i know. I'm deaf for all sins and pleasures hided. The littles tears that comes when i'm tired don't make all the anguish disappear. All dreams vanish. All dreams in vain.
Hopeless. I feel like there's no place to me in this world, I fell there's no place for me on myself. I see this room wishing I was with 407 smiles and laughs.

Futuro. Nunca essa palavra me assustou tanto, mas antes tinha certezas, vivia enrolada nelas, bradava ao céus que estava em divida. E ele provocou todo este alvoroço para me pagar. Então não quero mais nada com pessoas que estejam acima de mim. Mas agora sou tão pequena que nem tenho tamanho para subir a um altar que fiz para mim. E sei que nunca vou tentar escala-lo, porque já está preenchido com a grandeza de outro ser qualquer.

I live with fear. Fear of recognize myself in the mirror, scared of my body and yours too, I don't recognize anything anymore. I once thought I was perfect, young, cult, beautiful. All I though was the means to win. I won. Now – RESET.